Moreilândia, a “Terra do Mel”

Por Karina Morais
Foto: Luiz Netto

Moreilândia é mais um município pernambucano localizado na APA Chapada do Araripe*, inserida nos domínios da Bacia Hidrográfica do Rio Brígida, assim como a vizinha Exu e outras cidades do Araripe Pernambucano.

No século passado, na época da grande seca de 1877, sofrendo com a falta de alimentos e principalmente de água, muitos agricultores deixaram seus estabelecimentos à procura de locais onde existisse pelo menos a água necessária para a população e animais.

Uma dessas vítimas da seca foi o agricultor Claudiano Alves Moreira, que partiu de Iguatu, no Ceará, trazendo consigo sua esposa Ana Alves Moreira e as filhas Isabel, Maria, Porfíria e Antônia, bem como os poucos animais que sobreviveram ao flagelo recente.

61566_4739921258286_1004555595_n

A APA Chapada do Araripe abraça áreas dos estados de Pernambuco, Ceará e Piauí.

Supõe-se que o Sr. Claudiano buscava a margem do Rio São Francisco, onde a água é abundante, porém na viagem passou em terrenos férteis e desocupados,pertencentes à Paróquia de Granito, onde uma fato lhe chamou atenção, em plena estiagem, ao cruzar um riacho, viu poços d´água no mesmo, logo deduziu que cavando uma cacimba encontraria o que procurava, e assim se fez. Fixarem-se na terra, sendo seus primeiros habitantes.

Com a água encontrada, procurou se estabelecer fazendo casa e cercado, logo que voltou a chover iniciou o plantio do roçado e em um local mais fértil iniciou um pequeno sítio de fruteiras que se desenvolveu bem, dando um bom aspecto ao local e chamando a atenção dos viajantes que passaram a denominar o local de Sítio dos Moreiras, em alusão à família moradora do local.

Sendo uma região excelente para atividades agropecuárias, o local foi atraindo novas famílias. Coube a José Alves Lopes idealizar a construção de uma igreja, tendo como padroeira Santa Terezinha, o que se concretizou com a primeira missa celebrada em 1930 pelo vigário Joaquim Peixoto Alencar.

Construída a igreja, a povoação foi crescendo e em 1935 realizava-se sua primeira feira livre, tradição que se manteve ao longo dos anos e que ainda hoje é uma das mais frequentadas da região.

Popularmente o município é conhecido como a “Terra do Mel”, em alusão ao principal item agropecuário da economia local, sendo incontáveis os pontos de venda do produto, seja no comércio, seja diretamente com pequenos produtores.

O turismo não possui impacto direto no município, mas a proximidade com Exu faz a cidade aproveitar-se um pouco do fluxo de visitantes à terra de Luiz Gonzaga.

*A APA Chapada do Araripe está no livro fotográfico Expedição Pernambuco – O Leão do Norte. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.