A história do Lago de Itaparica

Por Jaque Pinheiro
Fotos: Luiz Netto

Foi ainda na década de 70, com a criação de um programa para desenvolvimento do Nordeste, que surgem os projetos para o aproveitamento da força hídrica do Rio São Francisco, visando a geração de energia.

As obras na área que no futuro seriam os lagos de Sobradinho, Itaparica e Xingó, se intensificaram nos anos 80. Especificamente no caso de Itaparica, a construção durou 9 anos até o enchimento do lago e início de operação da usina em 1988.

150410_4600852781661_118995532_n

Lago de Sobradinho.

971912_4951730233378_1964809771_n

Lago de Xingó.

O Rio São Francisco sempre foi usado como uma fronteira natural dos estados nordestinos e neste trecho, na área da Cachoeira de Itaparica, alvo da exposição São Francisco Submerso – O Lago de Itaparica*, suas águas dividiam os estados de Pernambuco e Bahia, findando por inundar cidades com relativo destaque na região, como Glória e Rodelas, na Bahia e Petrolândia e Itacuruba, em Pernambuco.

Vilas, povoados e distritos também foram alagados, com destaque para o Distrito de Barreiras, um antigo projeto de irrigação, que conserva atualmente as ruínas mais bem conservadas da região, como a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, hoje parcialmente submersa e usada como atracadouro para os barcos da região.

1451561_10200950170618816_563291545_n 
Igreja do Sagrado Coração de Jesus, Distrito de Barreiras, nos dias atuais.

Atualmente o lago da hidroelétrica ocupam uma área de mais de 800 quilômetros quadrados, abrangendo, além dos municípios já citados, outros como Belém do São Francisco (PE) e Chorrochó (BA). Quase todas estas cidades foram forçadas a ter novas sedes construídas próximas às cidades antigas.

O processo de realocação dos moradores não foi dos mais fáceis e contou com anos de tratativas entre a comunidade, organizada em sindicatos, e a Chesf, responsável pelas obras e pela operação da usina até os dias de hoje.

As novas sedes construídas findaram por apresentar melhores condições de vida para os moradores, com destaque para o sistema de transporte, moradia e saúde.

A Hidroelétrica de Itaparica foi rebatizada como Usina Luiz Gonzaga e conta hoje com uma potência insatalada de 1.479.600 kW. Informações técnicas disponíveis no site da Chesf, clicando AQUI.

 

*São Francisco Submerso – O Lago de Itaparica é uma exposição do fotógrafo pernambucano Luiz Netto. O projeto é uma realização do Ministério da Cultura, Lei de Incentivo à Cultura, IPHAN, Paço Imperial e Panorama Cultural.  O patrocínio é do Banco Itaú. A mostra segue em cartaz no Iphan de Recife até o mês de outubro.