Anauê Mostra de Cinema Indígena

Galeria – Mostras da La Kasita

Confira a última galeria da La Kasita 2015, com imagens da Anauê Mostra de Cinema Indígena e das diversas exposições que movimentaram a casa mais criativa do Festival de Inverno de Garanhuns.

“PI’ÕNHITSI, MULHERES XAVANTE SEM NOME” fecha a participação Xavante na Anauê

“PI’ÕNHITSI, MULHERES XAVANTE SEM NOME” fecha a participação Xavante na Anauê Mostra de Cinema Indígena. No filme, jovens e anciãos debatem sobre as dificuldades e resistências sobre a realização da festa de iniciação feminina.

Índios e Não-índios dirigem “TSÕ’REHIPÃRI, SANGRADOURO”

Em “TSÕ’REHIPÃRI, SANGRADOURO” a ser exibido na Anauê Mostra de Cinema Indígena, na La Kasita, os índios Xavantes relatam todas as preocupações atuais em meio a tanta mudança nas suas terras que estão vivenciando.

Os Xavantes participam da Anauê também com “Wapté Mnhõnõ”

"WAPTÉ MNHÕNÕ, A INICIAÇÃO DO JOVEM XAVANTE" foi realizado durante a oficina de captação do projeto vídeo nas aldeias e fala sobre a iniciação dos jovens, sendo quatro Xavantes e um Suyá, que realizam pela primeira vez um trabalho coletivo. Durante o registro, membros da aldeia esclarece

“Prîara Jõ, Depois do Ovo, A Guerra” é um curta do indígena Komoi Panará

“Prîara Jõ, Depois do Ovo, A Guerra” é um curta metragem do indígena Komoi Panará, que apresenta o universo de brincadeiras das crianças da aldeia Panará, o diretor aborda a tradição na memória do povo passado por gerações nas brincadeiras de crianças.

“Wai’a – O Poder do Sonho” é mais um filme Xavante na Anauê

Em “Wai’a – O Poder do Sonho” mostra-se as cerimônias de iniciação do povo Xavante. A festa do Wai’a é aquela que inicia o jovem a vida espiritual, com contato com forças divinas, sobrenaturais. O diretor, Divino Tserewahú, Xavante, dialoga com seu pai, um dos responsáveis do ritual.

“De Volta à Terra Boa” é um dos filmes dos Panará na Anauê

O rico filme “De Volta a Terra Boa” narra a trajetória dos índios com o desterro e reencontro do seu povo com o seu território original, desde 1973, com o contato com o homem branco, passando pelo exílio no Parque Xingu, até a luta e reconquista de posse de suas terras.

“A Arca dos Zo´e” traz esta histórica tribo para a Anauê

Dominique Tilkin Gallois e Vincent Carelli trazem o histórico filme "A Arca dos Zo´e, de 1993, para a Anauê Mostra de Cinema Indígena. Depois de conhecer a tribo Zo’e através de vídeos, os índios Waiãpi fazem uma viagem de encontro com esse povo.

“Kinja Iakaha”, feito por índios Waimiris, será exibido na Anauê

"Kinja Iakaha, Um dia na aldeia", filme totalmente realizado por indígenas Waimiris-atroaris, registra o cotidiano de uma forma íntima da aldeia Cacau. Seis índios das aldeias Waimiri e Atrori, na Amazônia, registram no dia-a-dia desse povo. Sintetizados em “Um dia na aldeia”.

“Vamos à luta” na La Kasita, durante a Anauê

“Vamos à Luta!” é o retrato de um índio Xavante documentando a etnia Macuxi, um olhar indígena externo a um dos piores conflitos da luta indigenista brasileira. O filme, que compõe a Anauê Mostra de Cinema Indígena, tem 18 minutos e foi rodado em 2002, dirigido por Divino Tserewahú.