Caldeirão Grande do Piauí

Por Fred França
Foto: Luiz Netto

O município de Caldeirão Grande do Piauí é mais um a não fugir das características da maioria das cidades do sudeste piauiense, região que compõe a APA da Chapada do Araripe*, pequeno e recém independente, voltado para a agricultura e comércio local, além de dependente de grandes polos locais como Picos e principalmente a cidade pernambucana de Araripina.

A história do município remonta à fazenda pertencente ao Senhor Clarindo Dias Neto, batizada de Fazenda Caldeirão, nome dado em alusão às Serras que rodeavam o local, assemelhando-se a um grande caldeirão, área esta conhecida hoje como Serra dos Cocos, devido a grande quantidade dos coqueiros catolé existente.

Após a construção de uma capela em homenagem a São José, a localidade, já com mais colonos morando em sua região, passou a se chamar São José do Caldeirão. Em seguida viraria povoado do município de Fronteiras, já com o nome de Caldeirão Grande. Fronteiras, hoje, já não possui mais áreas dentro da APA da Chapada do Araripe.

61566_4739921258286_1004555595_n

A APA da Chapada do Araripe ocupa principalmente terras do Ceará e de Pernambuco, mas também ocupa uma pequena área do sudeste piauiense.

Durante décadas se discutiu a de Caldeirão Grande, que só aconteceu, de fato, em 1992, com o novo município adicionando o “do Piauí” ao nome do povoado que lhe deu origem e com o primeiro prefeito assumindo a gestão já no dia 1 de janeiro de 1993. Era o Sr. José Gonçalves dos Santos, notório liderança do agronegócio local.

Com menos de 6000 habitantes, Caldeirão mantém o típico perfil bucólico deste canto do Piauí, com baixo IDH, 0,588, que apesar de pequeno para padrões mundiais, é maior que muitos das cidades da região.

A produção avícola é o carro chefe da agropecuária, com um plantel de cerca de 20 mil cabeças. O gado bovino, ovino e a produção de mel também merecem destaque.

Tradição na região, os coqueiros estão em destaque nas lavouras permanentes do município, com uma produção anual de mais de 15 mil frutos, competindo com as lavouras mais tradicionais do sertão brasileiro, com o milho, o feijão e a mandioca.

*A APA Chapada do Araripe estará no livro fotográfico Expedição Piauí –O Sol do Equador. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.