Caracol

Por Fred França
Fotos: Luiz Netto

Caracol é a principal porta de entrada do Parque Nacional da Serra das Confusões*, a cidade mais próxima de sua principal portaria, localizada a poucos minutos do centro do município. Ao todo, 12,68% da área do Parque se localiza na zona rural de Caracol, o que corresponde a 161 mil hectares, que, para muitos, são a mais bela porção da Serra das Confusões, o que vem ajudando a impulsionar o turismo local.

Assim como a Serra da Capivara e demais cidades do sul do Piauí, Caracol e a Serra das Confusões eram originalmente ocupadas por índios Tapuios. A primeira expedição oficial a região onde se localiza hoje o município, se deu pelo comandante José Dias Soares que adentrou na caatinga piauiense procurando locais para exploração da borracha ainda no início do século XIX, o que forçou o recuo dos indígenas.

12108774_10205292015482224_2934286453589034810_n

Caracol é um dos municípios a compor o Parque Nacional da Serra das Confusões.

16807435_10208755817315105_6042305687886359393_n

A corujinha-do-mato (Megascops choliba) é facilmente encontrada em Caracol.

Com a retirada dos Tapuios, os primeiros colonos começaram a explorar vários maniçobais na região. Domingos Dias Soares, filho de José e que acompanhou o pai nas primeiras expedições, fundaria a primeira fazenda de criação da região, sendo seguido por outras famílias, nascia ali a agricultura e a pecuária de Caracol, que até hoje ainda estão no sustentáculo da economia do município.

Ao povoamento criado, deu-se o nome de Formiga, ainda no século XIX. O nome Caracol só viria em 1904, em alusão a uma grande lagoa em formato de serpentina que existia nos seus arredores. Caracol se manteve como distrito de São Raimundo Nonato até 1912, ano de sua primeira emancipação.

Em 1931 o município viria a ser extinto e voltaria a pertencer a São Raimundo Nonato, só voltando à condição de cidade 16 anos depois, em agosto de 1947, com a instalação do distrito sede em agosto do ano seguinte.

Atualmente os indicadores econômicos do municípios são baixos, mesmos pros padrões do sertão piauiense.  O Índice de Desenvolvimento Humano é de 0,552 e a renda per capita é de apenas R$ 5.730,00 em valores de 2010 e 2014, respectivamente.

Por mais que o turismo venha ganhando em importância, a economia ainda se baseia no setor de serviços, especialmente nos serviços públicos, comércio e na agropecuária, com destaque para a avicultura com mais de 13 mil cabeças e o gado bovino com 3000 cabeças no plantel municipal.

* O Parque Nacional da Serra das Confusões estará no livro fotográfico Expedição Piauí – O Sol do Equador. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.