Casas Warao

Por Millene Vieira
Foto: Luiz Netto

 

IMG_2975


Os Warao são um povo originalmente nômade e até hoje parte de sua população segue com essa característica, migrando suas casas ao longo da Bacia do Orinoco e do Parque Nacional Mariusa* quando a pesca rareia em determinada região.

As casas dos indígenas são tipicamente palafitas, similares às das periferias brasileiras localizadas próximas aos rios urbanos, só que abertas, sem paredes, muros ou algo do tipo, apenas estacas de madeira que permita um piso acima do nível da água, pilares de madeira e telhados em palha.

As casas originais também não possuem qualquer divisória, com um único vão, e os índios que continuam vivendo em casas tradicionais possuem apenas alguns poucos itens manufaturados pela indústria tradicional, tais como redes, bacias plásticas e algumas roupas.

É normal encontrar crianças sem qualquer peça de roupa, mas os adultos já andam todos vestidos em sua esmagadora maioria. A casa é praticamente voltada em sua totalidade para a pesca e nas horas em que o Orinoco está na cheia, a palafita fica completamente dentro dos rios.

Com o desenvolvimento, muitas vilas outrora nômades se tornaram fixas, com passarelas de madeiras interligando casas, pontos de atracamento para os barcos mais bem acabados e algumas benesses modernas como geradores de energia e pequenas redes de distribuição com postes de ferro e iluminação comunitária. Em alguns locais até antenas de TV a cabo são encontradas. Algumas casas também já são de alvenaria e em praticamente todos estes núcleos surgiram pequenas pousadas de indígenas a receber turistas de todo o mundo.

As escolas destas vilas já contam também com certo grau de informatização, incluindo notebooks com o sistema operacional no idioma nativo dos indígenas. Obviamente estes núcleos mais urbanos já descaracterizaram as residências originais dos Warao, mas ao longo do imenso Delta do Orinoco, estas duas realidades coexistem, com algumas famílias vivendo ainda do modo tradicional nômade.

 

* O Parque Nacional Mariusa estará no livro fotográfico Expedição Venezuela – La Tierra de Gracia. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.