Cocal

Por Fred França
Fotos: Luiz Netto e Chico Rasta

O município de Cocal é mais uma das cidades a integrar a APA da Serra da Ibiapaba*, já na parte norte da unidade de conservação. Entre os primeiros moradores da cidade estão a família Rufo e a dos irmãos Antônio José, Cláudio José e Domingos José da Silva, os pioneiros na exploração agrícola da região.

O nome Cocal surgiu em alusão a duas palmeiras de coco de babaçu plantadas em frente à casa de Dona Camila Silva, localizada onde hoje se encontra o centro da cidade. O nascimento da cidade contou com um dos desenvolvimentos mais rápidos do norte do Piauí, com o desmembramento de Parnaíba acontecendo em 1947 e a instauração do Distrito Sede no ano seguinte.

captura-de-tela-2016-12-13-as-00-14-34

O macaco-da-noite possui uma pequena população na cidade de Buriti dos Lopes, vizinha a Cocal.

194a7158

APA da Serra da Ibiapaba na divisa entre os estados do ceará e Piauí.

Atualmente a cidade possui mais de 26 mil habitantes, espalhados por uma área de mais de mil quilômetros quadrados do bioma caatinga, até o limite dos estado na divisa com o Ceará, no coração da Serra da Ibiapaba e a 226 quilômetros da capital,Teresina.

Vizinha às cidades mais preservadas da Ibiapaba, como Buriti dos Lopes, no Piauí, e Viçosa e Granja no Ceará, Cocal apresenta muito da biodiversidade da região composta por diversas espécies endêmicas da caatinga e outras encontradas em biomas como a Mata Atlântica e a Amazônia, como no caso dos macacos-da-noite encontrados em Buriti dos Lopes, vizinha a Cocal.

O município apresenta um PIB per capita de R$5.680,98 anuais, a valores base do ano de 2014. O IDH registrado em 2010 era de 0,497, bem próximo à realidade das demais cidades vizinhas. A economia ainda é de base agropecuária, onde se destaca a aquicultura, a avicultura, a caprinocultura e plantações de feijão e milho.

* A APA da Serra da Ibiapaba e o Parque Nacional de Sete Cidades estarão no livro fotográfico Expedição Piauí – O Sol do Equador. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.