Coletivo Fulni-ô de Cinema

postado em Panorama Filmes

Por Expedito Lino

Captura de Tela 2016-01-19 às 17.23.23

O Coletivo de Cinema Fulni-ô surgiu em 2010 numa iniciativa da ONG Vídeos nas Aldeias, do diretor e cineasta Vincent Carelli, e professores indígenas Fulni-ô residentes na Aldeia.

Juntos, o Coletivo iniciou suas atividades com um projeto do Banco do Nordeste que possibilitou a formação inicial de uma equipe de jovens Fulni-ô que receberam formação em oficinas de cinema em suas diversas vertentes e culminou com a produção de Yoonahle, primeiro filme totalmente desenvolvido na Terra Indígena, dirigido, roteirizado e montado na própria Aldeia.

Hoje,  o Coletivo segue com seus objetivos de registro audiovisual das vivências históricas e abordagem da conjectura atual do cotidiano Fulni-ô em sua essência.

 

Captura de Tela 2018-01-25 às 20.24.08

Cena de Feá Tothdoa – Terra Seca.

As produções realizadas na Aldeia contaram com 100% de participação local, com equipe técnica e atores da própria comunidade e aos poucos começam a ganhar espaço além da Terra Indígena, sendo exibida em mostras, universidades, ONG’s e outras diversas entidades.

Os filmes também vêm contribuindo sobremaneira para o processo de ensino e aprendizagem das escolas indígenas, com diversas atividades educacionais acontecendo paralelas às filmagens, além, obviamente, de contribuir para a divulgação das tradições Fulni-ô para outros povos.

Em “Feá Tothdoa – Terra Seca”, o diretor Elvis Ferreira e o produtor Expedito Lino, remanescentes das demais produções, abordam a maneira como os indígenas extraem da caatinga que os cercam alguns de suas matérias-primas,

O filme é o quarto curta da parceria do Coletivo com a Panorama Cultural.