Cumaná

Por Millene Vieira
Foto: Luiz Netto

 

Cumaná, capital do estado Sucre, é um local histórico, terra natal de ilustres personalidades como o General Antonio José de Sucre, primeiro presidente da Bolívia. A cidade foi ponto da primeira povoação de europeus em solo americano. Até os dias atuais preserva uma arquitetura rústica que se destaca mo litoral venezuelano.

Apesar de grande parte do litoral do país possuir uma cordilheira próxima à costa, Cumaná se localiza na part, alvo de embarques e desembarques históricos no período das grandes navegações. A vocação para o mar está presente até os dias de hoje com o um dos maiores portos da Venezuela em operação atuando a pleno vapor. A posição geográfica privilegiada também fez o Município receber o primeiro cabo submarino entre Europa e América, ainda no século XIX. Hoje parte de seu território compõe o Parque Nacional Mochima*.

223435_4459610810700_1012878654_n

Parte do belo litoral de Cumaná compõe o Parque Nacional Mochima.

O fluxo no período colonial fez florescer o Castillo de San Antonio, uma forte que defendia a cidade e a bela Península de Araya . Apesar do nome “castelo”, nunca houve nenhuma família real, na Venezuela é comum chamar por “castelo” o que no Brasil nos acostumamos a chamar por fortes ou fortalezas. A construção foi erguida há mais de 400 anos e possui toda sua base e paredões ainda de pé, tendo sido declarado Patrimônio Histórico Nacional em 1965.

Tal como no Brasil, que viu Ihas como Fernando de Noronha e alguns fortes do litoral serem usados por prisão política, o mesmo aconteceu com o Castillo de San Antonio, ponto escolhido por governos venezuelanos para aprisionar políticos opositores.

Cumaná é hoje um pólo educacional com 5 campus da Universidad de Oriente, uma das principais da Venezuela, além de ser historicamente um pólo cultural, terra de famosos poetas latino-americanos, como Eloy Blanco e José Sucre.

Outros pontos de destaque da cidade são o Castillo de Santa Maria de la Cabeza, construído em 1669, e o Museo del Mar.

 

* O Parque Nacional Mochima estará no livro fotográfico Expedição Venezuela – La Tierra de Gracia. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.