A Vila de Choroni

Por Jaque Pinheiro

 

Chegando em Maracay, especialmente na rodoviária da cidade, já chamam atenção os ônibus antigos e fortemente ornamentados, com letreiros escritos geralmente em tinta e letras garrafais que indicam o destino final: Choroni. 


Até esta vila histórica, o veículo passa por uma sinuosa e perigosa estrada de cerca de 40km por entre as várias montanhas do Parque Nacional Henri Pittier*. Apesar dos perigos inerentes à pista, a estrada está facilmente entre as mais belas do mundo. Em poucas pistas se tem a vista de uma floresta úmida do porte do Pittier em toda sua plenitude.

 

A vila de Choroni se localiza próximo a Puerto Colombia, mas não exatamente no litoral, apesar disso, dada a importância histórica, termina muitas vezes por “roubar” a propriedade das praias como Playa Grande, Chuao, entre outras, nos vários guias turísticos. Da vila até as praias são pouco mais de 20 minutos de caminhada.

 

Entre as atividades da vila, o turismo sem dúvidas é a principal. Milhares de venezuelanos e estrangeiros visitam o histórico vilarejo, fundado ainda no século XVI, como colônia espanhola visando entre outras coisas, catequizar os indígenas que habitavam as úmidas montanhas litorâneas e produzir tudo que o rico solo tropical poderia oferecer, ganhado impulso a produção de cacau, a ponto de Choroni concorrer com a vizinha Chuao, que até hoje vive ligada a esta produção.

 

Mais tarde, já no século XVIII, Choroni teve importância singular na revolução bolivariana. Por lá Simón Bolívar conseguiu aglutinar um grande grupo, incluindo indígenas e religiosos, na luta pela independência latino-americana. Hoje o turista pode percorrer nas montanhas do Pittier que ficam perto da vila, várias trilhas por onde no passado andaram e se esconderam os exércitos bolivarianos, estas praticamente intactas e com muito verde.

 

Em termos de arquitetura histórica, Choroni com certeza está entre os grandes patrimônios da humanidade. Caminhar pelas suas ruas é como uma verdadeira viagem no tempo, onde praticamente todas as casas guardam os ricos traços coloniais.

 

Além da mágica natureza do Parque Nacional, os arredores do Pittier reservam uma rica história a ser desbravada pelo turista em seus vilarejos, que guardam muita proximidade com eventos de alta relevância na história venezuelana.

 


*O Parque Nacional Henri Pittier estará no livro fotográfico Expedição Venezuela – La Tierra de Gracia. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.brOs extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.