O Povoado de Chuao

Por Mitsy Queiroz
Foto: Luiz Netto

Localizado na parte leste do Parque Nacional Henri Pittier*, o povoado de Chuao apesar de ainda produzir cacau, o qual já foi uma potência produtiva no passado, inseriu também o turismo em sua atividade econômica, em especial na praia que leva o nome do povoado.

Comparar com as potências cacaueiras do Brasil no passado, chega a ser um tanto desigual, uma vez que Chuao é apenas uma pequena vila, mas talvez justamente por isso conseguiu preservar o ar colonial do final do século XIX em toda sua extensão.

O povoado se mantém ligada ao ciclo do cacau. Praticamente todos os moradores atuais são descendentes de ex-escravos das grandes fazendas do passado. Ainda são muitas as plantações na região e muitos pequenos comerciantes vendem em suas barracas e lojas os mais diversos chocolates artesanais, parada obrigatória para qualquer turista que deseja apreciar mais um encanto venezuelano.

Até mesmo nas casas comuns da vila é possível encontrar heranças dos áureos tempos deste plantio, com máquinas e equipamentos diversos bem conservados a enfeitar residências e edifícios públicos. O cacau secando no terraço das casas ainda é algo comum.

Outra atividade econômica dos moradores é a pesca, aproveitando a abundância de peixes da costa do Henri Pittier. O governo venezuelano vem conseguindo um bom equilíbrio entre a preservação ambiental da área e a sustentabilidade das comunidades. Ao visitar a bela praia de Chuao, comer um peixe fresco acompanhado de bananas desidratadas é a melhor pedida.

A arquitetura colonial preservada é outro destaque. As casas remetem automaticamente o visitante para um passado beleza singular. Chama a atenção a igreja colonial datada de 1785, declarada monumento nacional, localizada num enorme pátio que historicamente serve para diversos fins, desde secar o cacau, até realizar as manifestações da cultura local, principalmente os Diablos Danzantes, uma espécie de maracatu que lembra às relações dos escravos com seus capatazes. Um espetáculo de cores que merece ser visitado e registrado.

Sede de um grupo de Diablos Danzantes, em Chuao.

 


* O Parque Nacional Henri Pittier estará no livro fotográfico Expedição Venezuela – La Tierra de Gracia. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.brOs extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.