Sir Walter Raleigh

Por Jaque Pinheiro
Fotos: Luiz Netto 

Walter Raleigh foi um explorador inglês, além de escritor e cortesão da rainha Elizabeth I. Nasceu em uma família de pequena nobreza, por volta de 1552.  Por um tempo, estudou na Universidade de Oxford, lutou com os huguenotes na França e mais tarde estudou Direito em Londres.

Em 1578 , Raleigh partiu para a América, com o explorador  Sir Humphrey Gilbert, seu meio-irmão . Provavelmente, a expedição estimulou o seu plano de fundar uma colônia na região. Em 1585, patrocinou a primeira colônia inglesa na América, na ilha de Roanoke (atual Carolina do Norte). A colônia fracassou e a tentativa seguinte de colonização, em 1587, também falhou. Cabe a Raleigh, o credito de ter levado batatas e tabaco à Grã-Bretanha. Embora artigo já fosse conhecido, vindo através da Espanha, Raleigh ajudou a popularizar o habito de fumar, na corte.

Ralh.jpg

Retrato de Sir Walter Raleigh na National Portrait Gallery, em Londres.

O explorador, primeiro chamou a atenção de Elizabeth I em 1580, quando foi para a Irlanda, ajudar a suprimir uma revolta em Munster.  Logo,  tornou-se um dos favoritos da rainha e foi nomeado cavaleiro e capitão da Guarda da Rainha ( 1587 ). Se tornou um membro do parlamento em 1584, recebendo ,também, extensas propriedades na Irlanda.

Em 1592, a rainha descobriu o casamento secreto entre Raleigh e uma de suas damas de honra, Elizabeth Throckmorton. Essa descoberta despertou os ciúmes de Elizabeth I, levando a  condenação de Raleigh e sua mulher à prisão. Diante da decisão de Elizabeth I, numa tentativa de conquistar novamente a sua simpatia, ele partiu em uma expedição para encontrar El Dorado, nas Américas, tendo como pista, rumores de que o lugar estava situado em algum lugar além da foz do rio Orinoco – hoje, território venezuelano e onde se encontra o Parque Nacional Mariusa*. Com base em suas anotações, há uma grande probabilidade de Raleigh ter sido um dos primeiros ocidentais também a chegar à Gran Sabana e  à região do Monte Roraima, hoje Parque Nacional Canaima*.

1185457_10200545294337162_704352889_n.jpg

 Raleigh deve ter sido um dos primeiros europeus a ver esta paisagem, o Monte Roraima.

phoca_thumb_l_img_2473.jpg

Raleigh também deve ter sido um dos primeiros europeus a cruzar o Rio Orinoco e conhecer os indígenas Warao.

O sucessor de Elizabeth, James I da Inglaterra e VI da Escócia , não gostava de Raleigh, e em 1603, o navegador  foi acusado de conspirar contra o rei . Acabou, sendo condenado à morte. Essa pena foi reduzida para prisão perpétua e Raleigh passou 12 anos na Torre de Londres, onde escreveu o primeiro volume de sua “História do Mundo” ( 1614 ) .

Em 1616 , foi liberado para conduzir uma segunda expedição em busca do El Dorado. A expedição foi mais um fracasso. Ao retornar à Inglaterra, a sentença de morte foi restabelecida e a execução de Raleigh aconteceu em 29 de Outubro de 1618.

 


*O Parque Nacional Mariusa (Delta do Orinoco) e o Parque Nacional Canaima estarão no livro fotográfico Expedição Venezuela – La Tierra de Gracia. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.brOs extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.