Ilha Grande

Por Silvio Melo
Fotos: Chico Rasta e Luiz Netto

A história da região onde hoje se localiza o município de Ilha Grande é antiga, assim como a de todo pequeno litoral piauiense. O local, outrora conhecido como Coroa Grande ou Coroa do Iguaçu, possui registros da presença de colonizadores colonizadores tão antigos quanto Parnaíba e demais cidades litorâneas do Piauí.

O marco da ocupação local pelos historiadores remonta à figura da viúva Dona Mariana Alexandre Viana, que em 1692 se estabeleceu com seis filhos na porta da região de Coroa Grande, em uma posição estratégica, próximo a dunas, do Igarapé Ribeirinho e do Rio Tatus, um dos principais afluentes do Parnaíba no norte do estado. A região era conhecida pela qualidade do solo, com muitas árvores nativas como o caju, o murici, entre outras frutas da terra, além de grande fartura de caça. As tartarugas, hoje alvo de projetos locais de preservação, à época eram encontradas em uma quantidade muito numerosa e, por conseguinte, estavam entre as iguarias preferidas dos primeiros moradores.

As dunas onde a família de Dona Mariana estabeleceu residência logo foram batizadas pelos caçadores como Morros da Mariana, ficando o nome da localidade com esta alcunha até hoje.

A emancipação do município veio apenas em 1993, através de um plebiscito, oficializando a separação em janeiro de 1994, que que transformou Morros da Mariana e seus arredores na nova cidade de Ilha Grande, separando-os de Parnaíba.

A sede do município situa-se a 340km da capital, Teresina, e a apenas 8km de Parnaíba, segunda maior cidade do Piauí e maior do litoral. Sua população hoje é de cerca de 8700 habitantes, 90% deles localizados na zona urbana. O índice de desenvolvimento humano é de 0,563.

O Mirante com a estátua de Nossa Senhora dos Pobres, peça que veio da Itália, proporciona a melhor vista panorâmica do município, que apesar de independente, ainda continua muito ligado economicamente à vizinha Parnaíba.

Cidade (3)

Zona urbana de Ilha Grande.

Monumento - Rainha Mãe do Pobres (7) Estátua de Nossa Senhora dos Pobres.

IMG_7870

Ilha Grande é a única cidade do Piauí a compor a Reserva Extrativista Delta do Parnaíba.

Chama a atenção sua vegetação composta majoritariamente por carnaubais e manguezais, com abundância de recursos hídricos da bacia do Parnaíba. É justamente dos mangues da região que muitas famílias retiram seu sustento através da pesca do caranguejo e outros crustáceos, além da extração de plantas, como a Carnaúba. Outro destaque da economia local é o artesanato, em especial suas famosas rendeiras, conhecidas em todo estado pela qualidade das peças produzidas.

A cidade está estrategicamente posicionada para o acesso à foz do Rio Parnaíba e consequentemente a duas importantes unidades de conservação piauienses: a APA Delta do Parnaíba e a Reserva Extrativista Delta do Parnaíba*.

* A APA Delta do Parnaíba e a Reserva Extrativista Delta do Parnaíba estarão no livro fotográfico Expedição Piauí – O Sol do Equador. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.