Lagoa do Ouro

Por Karina Morais
Foto: Luiz Netto

 

194A0102

 

 

Município do estado de Pernambuco situado na mesorregião do agreste, próxima à cidade de Garanhuns, a maior da região. Sua história começa em 1902, com o Capitão da Guarda Nacional Amador José Monteiro apresentando um manifesto em nome da população do local à prefeitura da cidade sede do município, Correntes. A partir daí, foi autorizada a primeira feira do povoado, que foi elevado à categoria de vila, com o nome de Igatauá. Posteriormente o nome foi alterado para Lagoa do Ouro em 09 de dezembro de 1938.

A origem do nome deve-se ao encontro de pepitas e barras de ouro numa lagoa local pertencente à João Alves da Silva, o João do Ouro.

A cidade desmembrou-se assim de Correntes, ficando historicamente a festa de emancipação para o dia 25 de março.

Atualmente, Lagoa do Ouro é formada pelo distrito sede, pelo segundo distrito Igapó e pelo povoado de Campo Alegre. As principais atividades econômicas do município são a agropecuária e o comércio, com o feijão, milho, mandioca, batata doce e a fava frequentando a lista de principal hortifrútis produzidos.

Com apenas pouco mais de dez mil habitantes, Lagoa do Ouro é pequena até mesmo para os padrões de suas cidades circunvizinhas, especialmente se comparada à gigante Garanhuns, da qual sua sede dita poucos quilômetros e faz com que muitos de seus moradores trabalhem e estudem na cidade vizinha.

No município acontecem varias festas tradicionais como a Festa de Reis (no distrito de Igapó) e a Cavalgada à Serra do Pedro, herança de uma antiga promessa feita por moradores para que o santo acabasse com uma epidemia que assolou a cidade. Desde então faz-se a cavalgada até o topo da Serra do Pedro, também batizada por este nome em homenagem ao santo, onde foi erguida uma pequena capela. Todos os anos a Calvalgada acontece no dia 29 de junho.

Lagoa do Ouro é um dos municípios que cedeu parte de sua área rural para compor a Reserva Biológica Pedra Talhada*, uma das poucas unidades de conservação desta área do território pernambucano, tendo inclusive uma das sedes do ICMBio sido instaladas dentro do território do município.

*A REBIO Pedra Talhada está no livro fotográfico Expedição Pernambuco – O Leão do Norte. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.