Missa do Vaqueiro

Por Jaque Pinheiro
Foto: Bart van Dorp

Durante o terceiro domingo de julho, milhares de pessoas reúnem-se na zona rural de Serrita, no Parque Nacional do Vaqueiro, em Sítio das Lajes, a 32 km do centro da cidade, para a cerimônia religiosa em homenagem a um personagem típico da região: o Vaqueiro. Realizada anualmente, a Missa do Vaqueiro está entre as festividades mais tradicionais do Nordeste.

O Parque Nacional do Vaqueiro não é uma unidade de conservação ambiental, mas recebe a missa que é uma das principais celebrações culturais de todo sertão brasileiro. A área, entretanto, está inserida na APA Chapada do Araripe* e próxima à Floresta Nacional Negreiros*.

A celebração tem sua origem no ano de 1971 e nasceu como uma homenagem ao vaqueiro Raimundo Jacó, conhecido na região como um homem de muita coragem e competência na lida com a boiada. O vaqueiro, que era primo de Luiz Gonzaga, sanfoneiro, cantor e compositor pernambucano, foi assassinado em emboscada na região onde hoje acontece a homenagem. A primeira missa foi proposta por Gonzaga e rezada pelo padre João Câncio dos Santos.

CDpAL-mGuEYHMQXUAbymGFIJuj9mbNlKTNNSMf4feZc

A Missa do Vaqueiro transformou Serrita na “Capital do Vaqueiro”.

A missa é celebrada sempre no mês de julho, diante de um altar de pedra rústica em forma de ferradura que foi construído especialmente para o evento. No evento, reúnem-se milhares de pessoas, entre elas, principalmente, vaqueiros de vários estados do Norte e Nordeste. Durante o ritual, alguns fiéis sobem até o altar e deixam peças de sua indumentária de couro, arreios, e instrumentos usados no pastoreio do gado como oferendas e improvisam versos de aboio sobre cada uma das ofertas.

Homens vestidos de gibão, botas, coletes e chapéus de couro enfeitados; homens com rostos marcados pela vida de trabalho duro e sol do sertão acompanham a missa em cima de seus cavalos, seus fiéis companheiros de labuta. A celebração que nasceu para homenagear um vaqueiro assassinado transformou-se, ao passar dos anos, uma homenagem à figura do vaqueiro nordestino, personagem fundamental da cultura sertaneja.

Uma semana antes da celebração, Serrita já está em clima de festa. Vaquejadas, inúmeras atrações musicais de cultura popular, além das danças populares, aboiadores e feirinha típica compõem as atrações da grande festa que se forma ao redor da Missa do Vaqueiro.

* A APA Chapada do Araripe e a FLONA Negreiros estão no livro fotográfico Expedição Pernambuco – O Leão do Norte. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.