Niède Guidon

Por Roseanny Carvalho
Foto: arquivo pessoal Chico Rasta          

A história do Parque Nacional da Serra da Capivara* se mistura à história da arqueóloga Niède Guidon, uma das mulheres mais respeitadas na arqueologia mundial. Nascida no ano de 1933, em Jaú, São Paulo, Niède é formada em História Natural pela USP e tem doutorado em Arqueologia Pré-Histórica na Sorbonne, em Paris.

Foi a responsável pelas primeiras excursões feitas na região do Piauí, mais especificamente em São Raimundo Nonato, região onde se alocaria o atual Parque Nacional na Serra da Capivara. No local, entre outras descobertas, foi encontrado o esqueleto mais antigo do Brasil, pertencente a uma mulher morta há 9 800 anos.

Essas descobertas reinventam a história do homem no continente americano, já que a teoria conhecida até o momento indicava que os primeiros humanos pisaram no continente há cerca de 15 mil anos. Com as pesquisas e estudos de Niède comprovou-se a presença humana na Serra por volta de 100 mil anos, mudando a maneira como se imaginara a ocupação americana. Seus estudos apresentam evidencias significativas de que os vestígios achados eram sumamente ligados ao Homo sapiens.

12167812_10153306419944926_2067871490_n

Chico Rasta, fotógrafo titular de Expedição Piauí, com Niède Guidon na sede da Fumdham, durante a primeira viagem do projeto ao Parque Nacional da Serra da Capivara.

Em 1973, Niède passou a coordenar pesquisas na Serra da Capivara e em 1979, o governo brasileiro criou, finalmente, o Parque Nacional, sem então estabelecer como seria feita sua manutenção. Não havia até então funcionários e nenhuma estrutura que viabilizasse o seu funcionamento. Com isso, foi criada a em 1986 a Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham), que tinha como finalidade tomar os cuidados necessários da unidade de conservação. Por falta de especialista na preservação e administração do Parque, Niède recorreu ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que aceitou e fez um estudo para reorganizar e tornar a Serra da Capivara independente e autônoma.

A arqueóloga possui mais de 80 artigos publicados em diversas revistas científicas, recebeu vários prêmios nacionais como o Prêmio Fundação Conrado Wessel – Ciência e o Prêmio Bunge – Antropologia e Arqueologia, da Fundação Bunge (2007), além de outras premiações internacionais.

Desde as primeiras pesquisas, principalmente após a implantação do Parque Nacional que a arqueóloga se mudou para a cidade de São Raimundo Nonato, sede da unidade de conservação e da Fumdham, tendo auxiliado e contribuído para o desenvolvimento do município, tanto através do significativo incremento no turismo local, com ações relevantes como a estruturação da Serra da Capivara e a inauguração do belíssimo Museu do Homem Americano, quanto de forma mais direta, como no episódio em que doou parte de um dos prêmios recebidos para finalização do aeroporto do município.

* O Parque Nacional da Serra da Capivara estará no livro fotográfico Expedição Piauí – O Sol do Equador. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.