Bodocó

Por Karina Morais
Foto: Luiz Netto

O pequeno município de Bodocó é formado por três distritos: a Sede, Claranã, formado por Vila Sipaúba e Vila Jardim e o terceiro distrito, formado por Vila Feitoria, Vila Né Camilo e Povoado de Cacimba Nova.

A história da cidade deu-se no início deste século, Antônio Peixoto de Barros, fundou o povoado de Bodocó, em terras do então Município de Granito.

A origem do nome do Povoado, conforme os Bodocoenses, tem duas versões: uma de que o nome veio de uma planta aquática muito abundante na região, denominada de Bodocó, versão mais correta para uns, a outra, do nome de uma tribo indígena que ali habitou, chamada Bodorocós.

Seu desenvolvimento foi rápido, graças à facilidade de acesso, o que ocorria para maior intercâmbio comercial, motivando a elevação do Povoado à categoria de Distrito, em 1909.

Com o decorrer de alguns anos, o Distrito crescia a cada dia, tornando-se mais importante que a sede do Município de Granito. Em 1924 Bodocó viraria cidade e em 1938 foi Granito que passou a ser Distrito de Bodocó.

Em 1924, é elevado à categoria de primeiro distrito, assim, Granito deixa de ser sede e passa a ser distrito de Bodocó.

O município localiza-se em sua maior parte na unidade geoambiental das Chapadas Altas. Parte de sua área, ao sul, localiza-se na unidade geoambiental da Depressão Sertaneja.

Com clima semiárido, sua vegetação é composta pela típica caatinga do Araripe. Além disso, o município situa-se na bacia hidrográfica do rio Brígida, que engloba outras relevantes cidades, como Exu.

Bodocó tem uma beleza natural singular. O principal atrativo turístico é a Pedra do Claranã, que preserva na sua área uma vegetação típica do Sertão. Outros pontos turisticos da cidade: Chapada do Araripe*; Picoroto do Bom Princípio; Caldeirão da Jibóia; Gruta das Lendas e Cascata Cristal.

61566_4739921258286_1004555595_n

Bodocó integra a imensidão da APA Chapada do Araripe*, que ocupa hoje áreas de Pernambuco, Ceará e Piauí.

Bodocó festeja seu padroeiro São José, entre o dia 9 e 19 de Março com uma grande programação que se inicia no dia 9 com o famoso hasteamento da bandeira com o mastro santo percorrido pelas principais ruas da cidade até a igreja matriz da cidade sendo acompanhado por devotos, motoqueiros e cavalheiros montados em seus cavalos.

Logo após o fim da festa religiosa, que atrai gente de todo o Araripe e estados vizinhos, é iniciado a famosa “Festa de Março” com programação recheada e apresentações de diversos artistas locais e nacionais.

*A APA Chapada do Araripe está no livro fotográfico Expedição Pernambuco – O Leão do Norte. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.