Cedro

Por Karina Morais
Foto: Luiz Netto

Havia no fim do século passado, um campo de pastagem natural, conhecido por Campo do Cedro em virtude de uma frondosa árvore existente no local com o mesmo nome.

Então o Sr. Manoel Joaquim Leite, proprietário das terras, ali edificou sua residência, que também foi a primeira casa construída. Daí por diante foram se multiplicando até que em 1933 construíram uma capela que recebeu o nome de Capela do Cedro.

A realização da primeira feira do povoado se deu em 1937, quando na oportunidade foi doado pelo Sr. Francisco de Assis Leite e família o terreno que constitui o atual patrimônio de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

Graças à fertilidade de seu solo, o povoado continuou a progredir, passando a distrito e finalmente sendo emancipado politicamente do município de Serrita em 18 de maio de 1964, que teve como seu patrono o coronel Francisco Filgueira Sampaio (Chico Romão) e o primeiro prefeito, Gumercindo da Silva Bem.

194A8536

Visual da APA Chapada do Araripe a partir da zona rural de Exu. 

O município está incluído na área geográfica de abrangência do semiárido brasileiro, mais especificamente na APA Chapada do Araripe*, na unidade geoambiental dos Maciços e Serras Baixas. Cedro está nos domínios da bacia hidrográfica do Rio Terra Nova e tem como principais tributários os riachos do Meio e da Gameleira, todos de regime intermitente. O açude Barrinha é a principal fonte de água para a população.

*A APA Chapada do Araripe está no livro fotográfico Expedição Pernambuco – O Leão do Norte. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.