Rio Pajeú

Por Roseanny Carvalho
Foto: Luiz Netto

O rio Pajeú é o maior afluente do rio São Francisco e tem o tradicional Riacho do Navio como um dos seus principais afluentes. O rio ganhou esse nome dos índios, que o chamavam de “payaú”, tendo como significado “curandeiro”.

O rio nasce na divisa entre Pernambuco e Paraíba, na Serra da Balança, no município de Brejinho e deságua no Rio São Francisco, fazendo um percurso de 353 km até o Lago de Itaparica, lago artificial criado pela construção da Usina Hidroelétrica Luiz Gonzaga, no município de Petrolândia, Pernambuco.

A nascente do rio é conhecida como “buraco escuro”, com pedras avermelhadas e em grande quantidade. Sempre que chove e a temperatura baixa, a nascente começa a minar.

11954766_10205108432012752_8760416914899292763_n

O Pajeú guarda muito da biodiversidade da caatinga.

O Pajeú é a maior bacia hidrográfica do estado de Pernambuco, estendendo-se por uma área de 17 mil km² aproximadamente, abrangendo os municípios de Afogados da Ingazeira, Carnaíba, Calumbi, Flores, Floresta, Ingazeira, Itapetim, São José do Egito, Serra Talhada e Tuparetama, todos no Sertão.

É entre o Pajeú e o Riacho do Navio que a Estação Ecológica Serra da Canoa* está localizada, no município de Floresta. A bacia do Pajeú finda por ser a principal fonte de água da unidade de conservação, localizada no coração do semi-árido e recheada de rios intermitentes, o que realça a importância do Pajeú para o ecossistema local.

As águas do Pajeú já foram fonte para o fornecimento das cidades, onde a população a usava preparação dos alimentos e na higiene pessoal, além de ser fonte de lazer – homens, mulheres e crianças se reuniam às margens do rio para tomar banho, pescar e jogar bola, mas o rio que serviu de inspiração para a criação da música “Riacho do Navio”, escrita por Zé Dantas e imortalizada por Luiz Gonzaga, hoje vem sofrendo com a degradação ambiental, que tem sido causado pelo assoreamento, desmatamento e poluição, razão pela qual, o governo vem buscando a oficialização de unidades de preservação em sua bacia.

A Serra da Canoa, maior unidade de conservação estadual de Pernambuco foi uma conquista de fundamental importância para a preservação do Pajeú e seus afluentes.

*A  ESEC da Serra da Canoa está no livro fotográfico Expedição Pernambuco – O Leão do Norte. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.