Sítios arqueológicos do Parque Nacional de Sete Cidades

Por Fred França
Foto: Luiz Netto

O Parque Nacional de Sete Cidades possui este nome em alusão às sete cidades de pedras espalhadas pelo seu território e são nessas rochas que se encontram muitas das principais pinturas rupestres e gravuras registradas na unidade de conservação.

A maior parte das pinturas se encontram na Segunda Cidade, com vários registros de palmas de mãos, o que é um forte indicativo de pinturas indígenas, incluindo-se a mais famosa delas, no Sítio da Mão dos Seis Dedos. Na Segunda Cidade ainda se situam o Sítio Pequeno e na Pedra do Americano, outros locais com incidência de pinturas rupestres.

194A6539

Pinturas rupestres no Parque Nacional de Sete Cidades.

Na Quinta Cidade há sítios registrando rituais completos de caça, mas é na Sétima Cidade que estão as pinturas mais nítidas de todo parque, quase todas na cor vermelha, habitual também nos outros parques piauienses com pinturas rupestres, como a Serra da Capivara e a Serra das Confusões.

A quantidade de pinturas nas Sete Cidades é inferior a estes outros parques piauienses, mas sua localização mais central em relação aos parques do sul, são ótimos indicativos do processo de ocupação do nordeste brasileiro. Vale destacar também o fato de Sete Cidades se localizar numa área bem mais urbanizada nos seus arredores que a Serra da Capivara, além de ser um parque de menor extensão, o que contribui consideravelmente para a existência de menos registros rupestres que resistiram até os dias atuais, o que não diminui sua relevância.

* O Parque Nacional de Sete Cidades estará no livro fotográfico Expedição Piauí – O Sol do Equador. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.