Teorias da ocupação de Sete Cidades

Por Fred França
Foto: Luiz Netto

Índios Tapuias, vikings e até extraterrestres, são várias as teorias de ocupação do Parque Nacional de Sete Cidades*. Entre diversas hipóteses, o que se sabe é o que a unidade de conservação faz parte do corredor migratório dos povos nordestinos que passaram das áreas secas para as áreas úmidas da pré-Amazônia maranhense.

Documentos da chegada dos portugueses apontam para a existência de índios Tabajaras, Tapuias do ramo Cariri que ganharam páginas nas laudas portuguesas se referindo a suas habilidades de nadadores e seu temperamento pacífico, mas valente quando necessário. A presença Jesuíta aculturou os descendentes de Tabajaras e Tremembés, outro povo que habitou o norte do Piauí e Ceará, mas muitos fugiram para as regiões onde hoje se encontram os estados do Pará e do Maranhão.

Merecem destaque ainda as teorias defendidas pelo francês Jacques de Mabieu e do austríaco Ludwig Schwennhagen. O primeiro, em seu livro “Os Vikings na América do Sul”, defende a presença destes povos nórdicos na região de Sete Cidades, enquanto Ludwig acreditava ser Sete Cidades uma antiga cidade fenícia criada há 3 mil anos. O austríaco também defendia que os Tapuias seriam descendentes de uma antiga civilização de um continente que não mais existia, o continente perdido de Atlântida.

12096462_10205715156460484_7710783289273720254_n

O Sete Cidades foi a morada dos antigos índios Tapuias.

Se as ideias dos europeus ainda requerem um enorme esforço e boa vontade da ciência para uma eventual comprovação, o que dizer dos que defendem ter sido Sete Cidades criada por extraterrestres? Erich von Däniken, autor de “Eram os deuses astronautas?” defende a ocupação da região por ET’s, inclusive indicando comprovações de atuações de um suposto arquiteto intergaláctico nas divisões de algumas pedras.

Apesar de tantas teorias, muitas sem nenhuma evidência científica, a relevância de Sete Cidades para o entendimento da rota migratória dos homens do nordeste é ímpar, complementando muitas das informações que os estudos arqueológicos do sul do estado, mais precisamente no Parque Nacional da Serra da Capivara e no Parque Nacional da Serra das Confusões vêm trazendo para o entendimento da ocupação das Américas, auxiliando a entender a rota que muitos dos povos realizaram no processo de interiorização da ocupação brasileira.

* O Parque Nacional de Sete Cidades estará no livro fotográfico Expedição Piauí – O Sol do Equador. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.