Teresina

Por Roseanny Carvalho
Foto: Lucas Gaspar

Primeira cidade planejada do Brasil, construída durante o reinado de Dom Pedro II, Teresina é daquelas cidades que fascina a todos por possuir prédios inspirados na arquitetura portuguesa e parques que colorem toda a cidade de verde.

É a única capital nordestina que não possui praia, ficando a aproximadamente 366 km de distância do litoral.  Tem uma população estimada em 850 mil habitantes e uma área de 1.392 km² de extensão. Com um clima tropical, apresenta períodos chuvosos durante as estações de verão e outono, já nas estações de inverno e primavera, o período é seco.

A ocupação de Teresina teve inicio no século XVII, com a chegada de Domingos Jorge Velho e um grupo de bandeirantes que ali se estabeleceram. A igreja Nossa Senhora do Amparo, primeira do povoado, foi erguida no ano de 1797. Em 1832, passou a ser reconhecida como Vila do Poti.

Vinte anos depois, em 1852, a vila foi elevada à cidade e capital do Estado por intermédio de um projeto estratégico criado por José Antônio Saraiva, que visava transformar a região no ponto comercial por ser localizada mais centralmente. A nova cidade foi batizada com o nome de Teresina, homenageando  Teresa Cristina Maria de Bourbon, uma forte apoiadora do projeto criado pelo o “Conselheiro Saraiva”.

Atualmente a cidade é dona de uma riqueza natural, ambiental e cultural inestimável, com destaque para o Encontro das Águas, fenômeno natural formado pelo encontro de dois rios de coloração diferenciada: Rio Poti e Rio Parnaíba e duas importantes unidades de conservação (UC´s), o Parque Zoobotânico*, de jurisdição estadual, que além da área preservada abriga o zoológico do município, e a Floresta Nacional de Palmares, na sua região metropolitana, na cidade de Altos, sendo esta segunda unidade, de jurisdição federal.  A Flona de Palmares é dona de uma beleza natural impecável, dispondo de uma área de 170 hectares, apresentando a flora típica da Caatinga e do Cerrado. O lugar abriga muitos animais, incluindo alguns que se encontram ameaçados de extinção, como o macaco-guariba.

DSC04470

A Floresta Nacional de Palmares. em Altos, é uma das principais reservas de verde da Região Metropolitana de Teresina.

Para os amantes de história, o Museu do Piauí, casarão estilo colonial de 1859 que pertenceu ao comendador Jacob Manoel Almendra, exibe peças da era coloniais e contemporâneas. A Igreja de São Benedito e a Igreja Nossa Senhora das Dores, também revelam parte da história de Teresina. Outra atração é o Palácio de Karnak, prédio inspirado em um templo grego.

A culinária típica de Teresina também chama atenção. Composta com pratos como o capote (preparo feito com galinha d’angola), a paçoca (carne seca desfiada com farinha e socada no pilão) e o arroz Maria Isabel (mistura de arroz com carne seca).

Atualmente a capital do Piauí apresenta um grande crescimento econômico, ganhando destaque e projeção nacional, já se colocando como uma das principais cidades do nordeste brasileiro.

* A Floresta Nacional de Palmares e o Parque Zoobotânico de Teresina estarão no livro fotográfico Expedição Piauí – O Sol do Equador. Mais informações sobre a Coleção EcoExpedições no menu esquerdo do portal da Panorama Cultural ou no site www.colecaoecoexpedicoes.com.br. Os extras publicados no portal trazem informações e curiosidades das áreas visitadas ao longo do projeto.